Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2011

Dandelion

ao som de All India Radio - "Morning Drops Ambient"
Talvez eu tenha me desfeito no momento em que te conheci. Talvez você realmente tenha me tocado. Com uma mão delicada que tencionava ser suave mas força o limite e rompe cada um dos frutos de um dente-de-leão. E talvez, Flor, este seja eu. Esvoaçado, sou apenas vestígios pelo concreto. Sou pensamentos despidos, emoções ao léu... Sou passos vacilantes de um nômade perdido. Sou, enfim, romântico.

Meio a Meio

Que talvez fosse cedo demais. Mas talvez o tempo fosse medido pela vontade.E talvez o tempo era mesmo curto por que a vontade era demasiada.Que o tempo se tateava no medo do não ser recíproco e a vontade se envergonhava de ser tamanha.E ambos se encaravam almejando serem um pouco mais equivalentes.Mas o tempo, que queria ser tão maior, era tão lento quando estavam distantes que até nomeava a vontade de “saudade”.E a vontade, que era tão imensa, se escondia com medo de ser notada e taxada de precoce.E viviam tão inquietos que quase se esqueceram que só faziam sentido juntos.E quando o tempo se declarou para a vontade, da pontinha de seus pés para estar mais próximo aos olhos dela, ambos aquietaram-se em um olhar demorado.E talvez o tempo fosse mesmo medido pela vontade.

Enfim,

"Que comece agora e não termine nunca."

Insônia

ao som de Bonobo - "Sleepy Seven"


“Você não vai conseguir dormir” repetia dentro de sua cabeça a voz em tom resoluto. A escuridão confortável àqueles olhos sensíveis extingue-se com a porta abrindo-se. O dia nasce e quer entrar e os pássaros comemoram longe. O quarto velado por roncos leves de quem está em repouso profundo e o barulho da goteira que distrai quem não tem este conforto. A paz alheia sempre trouxe muita inveja ao mundo e há aqueles que não conseguem se aquietarem instantaneamente, com uma cabeça incessante quando todos já desmaiaram e foi anunciado o término da festa. Pensamentos que sufocam sonhos, o sono perdido na noite finada. A tranquilidade do ambiente se desfaz num tormento próprio, invisível aos demais: Morpheu renegou-o e o dia é um fardo. A porta aberta revela a poça de água se expandindo por um chão tomado de cobertores e colchões, entrelaçados em uma orgia de roncos e suspiros da qual ele havia sido excluído. Que se afogassem todos num sonho líquido co…