quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

"Bom dia"


Uma proposta para tornar-se fluido.


Deixar portas abertas & abrir-se em conjunto.



Assumir-se.
Independência ou Auto-Gestão?
As palavras se diferem e exigem cautela!



Preocupações são duras demais para se colecioná-las!
A maciez do papel lida bem com seu peso e o tempo se encarrega do ponto de vista desmantelador.



O excesso é perda, assim como a escassez.
O que sobra, sobra por não ter sido bem usado.
Assim, resulta-se a máxima:
“Nada se perde, Nada se cria, Tudo se transforma.”



O rio corrente compõe-se do livre; o atraso provém do desnecessário.
O acúmulo se acumula:
“Quer pouco, terás tudo; Quer nada, serás livre.”



Límpida, a água resplandece e revela a bela faceta da vida pura em reflexos de prazeres nos instantes.
Que Narciso se confunde pois busca com as mãos: beleza se contempla!
Os olhos aprovam o mundo que a mente trás para si.

Bom dia.


________________________________________
¹Lei da Conservação de Antoine Lavoisier (N. do A.)
² Frase de Fernando Pessoa (N. do A.)

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

BOOMERANG

e a convicção de que a conexão não é terrena & independe de localização para o situar-se mútuo.

que todo homem que possui uma virtude possui, em mesmo grau, um vício que provém do descuido! o tempo dedicado a afinar-se em uma nota é o mesmo do reparo: a sinfonia é composta de tons errantes e nenhum deles pode ser pleno em sua individualidade, portanto o REFINAR-SE!

e no ritmo individual que possuímos resta-nos o conforto da sintonia.

se vibramos com isso? claro! pois a sinceridade para conosco, sempre em primeiro plano: responsabilidade é dada para a capacidade.

e se hesitamos diante os deleites de um universo irônico? bem, a dúvida fora colocada e explanada em seu enunciado! nunca tivemos exatamente tempo para acanhar-nos com estes assuntos...

na verdade, acredito que seja mesmo falta de interesse...

você e eu sabemos o quão difícil é captar-nos a atenção com estes assuntos tão... monó...

ah, você me entendeu!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Meias Verdades sobre Meias Amantes

Eu nunca as quis por completo, é verdade.
Aficionado com as obras do acaso, eu nunca quis colocar limites no politeísmo. Restrição de crenças &outros tipos de jejum sempre ocasionaram-me um enjoo egoísta, típico da solidão em que costumo me conservar.
Os costumes são todos falidos, pois são rotineiros. As latas em conserva estão todas vencidas, a começar pelo prazo de validade que já fora previsto e está desnudo na própria embalagem.
O acaso, eu ja mencionei anteriormente, é obra da ingenuidade. Essas coincidências só impressionam os distraídos, traídos por seu aluar. Esses idos & vãos, surpresas de um destino doce ou cruel, são SUAS atribuições, demasiadamente românticas.
Que acusem-me do Amor-Livre! Quem quer ferir, já foi ferido. Pois este amor já está bem morto & é a liberdade que o comprova! Não haveriam de ser antônimos, opostos, a se encarar... Mas que posso fazer se o meu amar exige tanta maturidade? Que essas declarações de guerra são inocentes & infantis; e a ressurreição deste amor, que por vezes se debate no túmulo, exige a captura –
de minha atenção.
O deslumbro profetiza a morte do ser livre.
Mas, cá entre nós: superstições à parte.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Citação


E poder dizer todo dia:
"you meet me at a very strange time in my life"