quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Nó na Garganta


- não trouxe suas palavras. onde estive com a cabeça, meu deus?! o guarda-roupa revirado, suas gavetas escancaradas transbordando cartas de ex-namoradas, fotos antigas – vencidas –, calhamaços de memória amarelada... pousada sobre tudo, a frase que te devo. fiado, não nego. e minha procrastinação é famosa! vêm os anjos, vêm os sonhos lembrarem-me a dívida que tenho contigo. comigo. inquietude que me toma como par! sou ímpar enquanto não deixá-la à par!

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Hortência

Mais um desabrochar. E as pétalas se mantém em suas cores intensas e, presumo, com sua essência tão característica.

E, já sabes, sinto falta do campo de flores; desse jardim que é o mundo.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

domingo, 5 de dezembro de 2010

Vende-se

Se não fosse tão complicado ver um sorriso surgir em teus lábios...
Mas é impossível para mim olhar dentro de teus olhos. E como eu poderia sustentar essa minha cara simpática se a visse com olhos sérios? E o que há de sério para ver em ti?!
Pois venda-me, amor.
Que num mundo escuro é mais fácil enxergar tuas verdades. Que teus motivos brotam como flores do solo e te justificam incontestavelmente. Pois, afinal, que fato pode ser tão definitivo para não ser visto com outros olhos?