quarta-feira, 29 de maio de 2013

Empatia

"Eu sou o que dá certo"

Palavras que nunca foram proferidas, mas que atribuo àquele que dialoga pelo espontâneo.
E se o faço, bem sei o que faço,
Pois eu também sou o que dá certo.
E este é, sempre, só mais um começo...



quinta-feira, 23 de maio de 2013

Desaire



Imposições encurralam-nos em interjeições,
seja em expressões, vícios de linguagem, ou em bordões
não há mais espaço
para condimentos ou condições.


Vivemos em polaridades sem saber nos contermos e desconhecemos a comunhão conosco.
O deslize leva-nos às extremidades num desequilíbrio vicioso.
E sobram-nos conselhos, pois faltam-nos espelhos.


As frases publicitárias bordadas em blusas que se contradizem constantemente são a propaganda de um mundo em inércia que não sabe se "relaxa e goza" ou se "corre atrás de seus sonhos"...

Caso a indecisão persista, fique atento às etiquetas.


terça-feira, 14 de maio de 2013

Fértil


Somo quando semeio anseios de sermos como somos:
Mais que meios, mais que donos de pedaços, traços ou riscos.
Opero em equações diretas, equalizações de velhos discos.
Ópera em esfera popular, façamos de risos riscos!
Ricos em pedaços, recortes de tempo-espaço intato
Inato floreio ao Sol que nos cerca:
que eu me perca além da cerca...

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Esfinge



Decifra-me.
Ela sabe de alguma coisa que eu não sei.
A forma como ela mede o mundo com os olhos e o sorriso silencioso que dispensa a cada pessoa que cruza seu caminho me deixa intrigado. Sei que ela não quer nada com ninguém e sinto até algum desprezo pelos demais em sua postura que revela sua superioridade implicitamente. De simpatia sutil e distante de todos, ela passa despercebida diariamente. Introvertida em seu humor enigmático, a voz dela é quase um mistério. Seria uma ordinária garota tímida, não fosse pela segurança que seus passos lhe conferem. Seria, para mim, mais um rosto familiar do cotidiano, não fosse aquele olhar cauteloso que me desconcerta em especial.  Ela sabe de alguma coisa, eu sei.