quarta-feira, 8 de maio de 2013

Esfinge



Decifra-me.
Ela sabe de alguma coisa que eu não sei.
A forma como ela mede o mundo com os olhos e o sorriso silencioso que dispensa a cada pessoa que cruza seu caminho me deixa intrigado. Sei que ela não quer nada com ninguém e sinto até algum desprezo pelos demais em sua postura que revela sua superioridade implicitamente. De simpatia sutil e distante de todos, ela passa despercebida diariamente. Introvertida em seu humor enigmático, a voz dela é quase um mistério. Seria uma ordinária garota tímida, não fosse pela segurança que seus passos lhe conferem. Seria, para mim, mais um rosto familiar do cotidiano, não fosse aquele olhar cauteloso que me desconcerta em especial.  Ela sabe de alguma coisa, eu sei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários?