sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Meio a Meio

Que talvez fosse cedo demais. Mas talvez o tempo fosse medido pela vontade.

E talvez o tempo era mesmo curto por que a vontade era demasiada.

Que o tempo se tateava no medo do não ser recíproco e a vontade se envergonhava de ser tamanha.

E ambos se encaravam almejando serem um pouco mais equivalentes.

Mas o tempo, que queria ser tão maior, era tão lento quando estavam distantes que até nomeava a vontade de “saudade”.

E a vontade, que era tão imensa, se escondia com medo de ser notada e taxada de precoce.

E viviam tão inquietos que quase se esqueceram que só faziam sentido juntos.

E quando o tempo se declarou para a vontade, da pontinha de seus pés para estar mais próximo aos olhos dela, ambos aquietaram-se em um olhar demorado.

E talvez o tempo fosse mesmo medido pela vontade.

3 comentários:

  1. uau! tu te superas a cada texto... definitivamente amei esse!!

    ResponderExcluir
  2. Acho que se você não tivesse criado esse texto, eu não conseguiria saber como me sinto esses dias.
    É bom quando a gente lê algo que se identifica, né? Foi assim com esse texto.

    beijos

    ResponderExcluir

Comentários?