A Plástica do Costume


Irreprimível fluxo de criatividade! Tenho textos para mais de mês, para cumprir essa mesquinha aposta que fiz comigo e que não levo tão a sério assim, tendo visto a qualidade das últimas produções.

Independente disso, finjo cumprir minhas responsabilidades e como Fernando Pessoa dizia, poeta que finge é poeta que sente, assim eu sinto muito.


Às vezes penso que essa vida de escritor me mal-acostumaria, mas vejo que já o estou e escrevi muito pouco para tanto...


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ABRALAS

Transição