quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Espuma


Dos respingos, excessos
Dos restos, descaso
Dos transbordamentos, a têmpera 
para lidar com o descabido.
Teu vazio contido não se compara ao
Meu Vazio contém.
Alvo feito o Nada,
Tecido cru & corpo nu
Tanto cor como vestígio,
Alquimia da extravagância:
toda sobra é matéria prima
os bons modos da Gula &
a Avareza póstuma que rege a rigidez de quem nunca riu de si.
Espelho límpido, reflexo imundo
Eu oceano, diluo o desaguar.
Uma puta maré de ressaca
& as oferendas debochadas de volta à beira de areia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários?