quinta-feira, 2 de abril de 2015

Verso de Desalento


Alegria simples que se lê devagar
de tarde de infância de casa de vó
do ideal nunca vivido
da sépia da mente.
Alegria triste,
saudades
do que não foi.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários?