terça-feira, 23 de setembro de 2014

Rumor

O grosseiro não precisa de estímulos,
porquanto sequer sabe discernir o sutil do espesso.
O óbvio guia-se pela quantidade:
fartos flertes e alarde.
Ante o jugo estreito todo ganho é pompa,
assim o desperdício acompanha o exagero desde sempre.
Também por isso a elegância sóbria não foge ao tédio.
Há requinte no desejo do perito,
e é quase um fetiche entregar-nos a quem nos sabe apreciar,
mas qual homem alcança a Vitória quando almeja com vaidade?
A volúpia viola a virtude tal Vênus devassada.
Não se versa, entretanto, em contemplações
sem herdar as insatisfações da arte:
mirra o belo em apreciações inertes. Palavra é pouca poesia.


O silêncio é afrodisíaco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários?