Costelas IX


Solução sem soluços
Solidão sem mágoa
Meus impulsos, firme pulso
Eu avulsa
Verto água

Corpo leve, alma densa
Vida breve, bença vó!
Vim só vou
Numa sentença
De herança deixo a dó

Curvo o corpo ao espelho
Sou eu própria o vidro turvo
Frágil e frio, eu me assemelho
Em conselho com o vazio
Pois o atrofio ágil

Mal me tenho, dou-me tanto
Dôo em prantos, qual empenho
Aos engenhos do destino
Eis meu hino - o desencanto
Tal o divino ferrenho.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ABRALAS

Transição