sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Costelas III

Nada por menos.
Tenho meus planos, plenos de detalhes,
Mapas à Vênus,
Entalhes artesanais
E meus venenos habituais.

Nutro pequenas relações comigo
Aceno às multidões, enceno perigos
Dramatizo questões as quais nem acredito
Personifico mitos
Em elaborados ritos de solidão.

Solidifico personagens
Importo paisagens em ilustrações ilustres
Lustro imagens que tenho de mim
Ao espelho torno-me afim,
Visto roupagens, proclamo festins, enfim!

Anfitriã em meu teatro ilusório
Forjo ontens e amanhãs, um divã, um laboratório
Do simplório ao titã
Artesã,

E não santa de oratório.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários?