sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Costelas I


Vim de um fim passageiro,
passageira dos sins e nãos da vida,
cortejada no centro
e esquecida na avenida
pelo motorista ávido.

Vim de mais um romance incerto,
certa de que por perto só quero a mim.
Enfim, mais um aperto no coração
e a sensação da sôfrega solidão,
porém alívio.

Vim vindo, vendo as paisagens.
Vendo mais do que imagens,
tudo o que me resta, que não é muito,
mas dá para saciar aos olhos.
E algo mais, talvez.

Vim de contos avulsos,
sou alvo de impulsos alheios,
prato cheio, acompanho passeios
com o certo receio
que todos têm na tez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários?