terça-feira, 13 de novembro de 2012

Perséfone


O céu me beija em gotas.
E enquanto desmorona violento ao meu redor, comigo se faz suave.
A chuva me envolve tão sutil que provoca ciúmes, me desvia de compromissos & me afasta de meu lar. Os deuses andam enamorados & não há abrigos para a obsessão divina.
Não me oculto, portanto. A insensibilidade da ligeireza se desfaz à medida que freio-me & logo me quedo estático. Esculpido sob a tempestade sou obra do desejo & a garoa me alisa mansa.
Encoberto por véus cinzas, sou mistério inefável.
Monumento embebido em meio a um Éden.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários?