sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Antes que o mundo acabe

O Gênesis como um matrimônio.
A cria deslumbra-se sincera consigo
Depara-se com o todo e tudo é apenas um e, em imagem e semelhança, sente-se completa, enfim.
A dúvida permanece, eterna
No entanto, a convicção momentânea do paraíso; e é isso que nos compõe mortais!
O tempo, intocado, recebe radiante o juramento de eternidade enquanto os dedos são suaves ao receberem a troca e assim o homem se divorcia da natureza
Mas, antes que o mundo acabe, o homem hesitará.
E quando o fizer haverá aqueles dois segundos de fricção do esforço de separar-se da aliança.
Dois segundos eternos,
de pura reflexão.

Um comentário:

  1. definitivamente, um dos meus preferidos.

    ResponderExcluir

Comentários?