sexta-feira, 6 de maio de 2011

Tortuoso

Os olhares tateiam-me e a loucura tatua-me.

O tempo, torcido feito toalha, se esvaiu sem deixar trocados;
dobrou a esquina amarrotado,
e foi ter com o solo, tonto.

A queda foi o acertar-se dos ponteiros: desorientados, já não sabiam para onde correr neste extenso labirinto.

E eu provo a tinta e conquisto atenção: que venho confundindo as datas e as luas e me perdendo nas demarcações dos calendários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários?