quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Sonhante

Acho-me nessas despedidas rápidas de expectativas. Encontro-me exatamente nestes momentos em que o sonho se esvai e a realidade nos envolve. Tenho-me lá em minhas montanhas-russas; em meus “desumores”, desavenças, discussões com o destino.
Procuro-me no sonhar, encontro-me no momento.
E de tanto cálculo que fiz, no fim, só me restou o tempo perdido: espontâneo.
Que os planos, mirabolantes que sejam, caem à terra e as impressões se imprimem na temperatura do presente. Nunca me adiantaria ser frio: rendo-me ao espetáculo e derreto-me com a performance.
Sou mesmo... inconstante.

3 comentários:

  1. Sensatamente contraditório...

    aquariano...

    ResponderExcluir
  2. Acho que o destino é uma mãe ingrata. Mas continue escrevendo, as palavras são como um colar falso de pérolas persas para essa progenitora tísica. Agrada-a, mas nunca a seduz totalmente. (:
    Caramba, isso não é simples.

    ResponderExcluir

Comentários?