quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Nocivo

Siga as pedras que deixo pelo caminho.
E se por ventura se acabarem, há as pegadas.
Trilha marcada por um homem sozinho.
Cravada no asfalto das estradas.

Deixo as pistas, dicas, os suspiros...
Provoco-te! Incito uma perseguição.
E, cauteloso, à frente me atiro.
Medindo passos e escolhendo a direção.

Siga as pedras, querida, eu lhe imploro!
E dessa fuga já perdi o motivo.
Mas se me recomponho, logo coro:
Faço-te perseguir esse meu amor nocivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários?