segunda-feira, 20 de julho de 2009

Do autor


Não faço questão de ser uma dúvida, apenas a sou.
Devo me desculpar pelo fato de que não compreendes minha verdadeira essência? E se falo assim, alto, é por que sei de cada um.
Se o mistério é um pecado, pois já não fui julgado muito antes de ser lido? Pois teus olhos já não haviam me condenado antes que minhas palavras te perfurassem? Que cada cor da minha roupa já não tinha sido exageradamente extravagante, e o meu mau gosto já não tinha te assustado?
E para ti sou efusivo! De sorrisos largos que te enfeitam a face por serem contagiantes! Mas a ironia, seca, é sutil demais para ser percebida, não?
Eis meu vício: personagens sorridentes.
Acordo todo dia decidido a interpretar, mesmo sabendo que sérios mesmo são os palhaços.

2 comentários:

  1. ...mas parece que vc escreve melhor a cada dia que se passa.. Oo'

    ResponderExcluir
  2. "é isso que sou: um viciado em personagens sorridentes, e acordo todo dia decidido a interpretar, mesmo sabendo que sérios mesmo são os palhaços. "

    Nossa! Que delícia esse final! Sério. :)

    ResponderExcluir

Comentários?