segunda-feira, 25 de maio de 2009

Página Solta

De modo que seria insensato continuar ostentando seus luxos e não-me-toques, pois dera-se conta de sua estaticidade e invalidez. Então chegara a hora de abdicar-se de objetos e valores e dispor-se ao curso com espontaneidade.

Mas quais serão as palavras dos outros? Julgamento incisivo que norteia seus atos. E isso já é um tanto desmotivador.
E qual será o seu objetivo? E resta saber se será seu ou dos outros. Sua ascensão sempre esteve enraizada em seu ciclo social.
E que calçado te dará o passo firme? Pois a estética é imprescindível e você sempre prezou por aliar o útil ao agradável, ainda que tivesse de pagar mais por isso.
E, ainda, quem projetará teu caminho e quem o construirá? Pois não venha me dizer que você o fará. Você só pisa em estrelas! o teu tapete vermelho não toca o chão com medo da poeira!

E em um belo dia a vassoura não será nem transporte nem limpeza e o pó de arroz não será mais um entorpecente ou artefato para a beleza. E será tudo em vão:

Quem carrega jarros nas costas é por que não sabe dar vazão.

Um comentário:

  1. "E em um belo dia a vassoura não será nem transporte nem limpeza e o pó de arroz não será mais um entorpecente ou artefato para a beleza."

    A-MEI. beautiful.

    ResponderExcluir

Comentários?